Os 5 erros mais comuns sobre o GRO e como evitá-los

O Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) representa o atendimento de uma empresa a determinadas diretrizes, com a finalidade de melhorar o seu desempenho de Segurança e Saúde no Trabalho (SST).

Este atendimento não está ligado ao atendimento à legislação, mas na melhoria contínua de SST.

Talvez a não compreensão disso é o que leva para alguns erros sobre o tema. Por isso, vou discorrer alguns parágrafos para falar a respeito dos 5 erros mais comuns sobre o GRO e como evitá-los:

  1. GRO é uma novidade?
  2. GRO é um documento?
  3. A Nova NR-1 é um modelo de GRO?
  4. O GRO é atendido pelo PGR?
  5. Esperar a Nova NR-1 entrar em vigência para fazer o GRO?

 1 – GRO é uma novidade

O GRO, abordado pelo texto da Nova NR-1 NÃO é nenhuma novidade.

Há diversas referências, inclusive mais robustas sobre o tema, como:

  • BS 8800 (1996)
  • Diretrizes da OIT sobre Sistemas de Gestão de SST (2001)
  • OHSAS 18001 (2007)
  • ISO 45001 (2018)

2 – GRO é um documento

O GRO não é um documento, mas um conjunto de ações que as organizações precisam implementar. Embora não seja um documento, tais ações precisam ser documentadas. Não para atender legislação, mas para que se possa acompanhar a melhoria do desempenho de SST e ter rastreabilidade das informações.

3 – A Nova NR-1 é um modelo de GRO

Não, a Nova NR-1 não é um modelo de GRO, mas apresenta alguns requisitos legais MÍNIMOS que as empresas precisam atender. Ou seja, só tendo como base a Nova NR-1 você não implementa um GRO.

4 – O GRO é atendido pelo PGR

O GRO não é e nem será atendido apenas pelo PGR. O GRO deve constituir um PGR, mas isso não significa que o GRO é atendido apena por um PGR.
O PGR é o norte/direção para o GRO, entretanto outras ações precisam ser implementadas para um GRO eficaz.

5 – Esperar a Nova NR-1 entrar em vigência para fazer o GRO

Esperar um dispositivo legal obrigar a fazer algo que deveria ser espontâneo, por trazer diversos benefícios é inexplicável.

O que deveria motivar as empresas e os profissionais de SST a implementar o GRO, independente de NR é:

  • Aumento da produtividade
  • Redução do absenteísmo
  • Redução de custos
  • Preservação da sua imagem/reputação da empresa
  • Preservação da saúde e integridade física dos trabalhadoresOu seja, você integrante de SESMT ou prestador de serviços de SST, deve começar a implementar o GRO na sua empresa ou cliente o mais rápido possível.

Não para estar em conformidade com a Nova NR-1, mas pelos resultados que um GRO eficaz podem trazer.

Abaixo seguem algumas sugestões do que você pode fazer frente a cada um destes problemas listados.

Compreenda…
Outras referências sobre o tema.

  • O conjunto de ações que contempla um GRO.
  • O que vem a ser um modelo (referencial) de GRO.
  • A diferença entre um PGR e o GRO.
  • Todas as vantagens proporcionadas pelo GRO e use isso como argumento.
     

Ficou com alguma dúvida ou consideração? Deixe seu comentário!

Se julga que o conteúdo foi relevante, curta e compartilhe para que essa informação chegue a mais profissionais.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos Relacionados

Esteja antenado às novidades do SST

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nossos Cursos

Meteórico GRO e FAP

Chegou a hora de você ter seu trabalho de SST visto como um investimento e ser muito bem pago para isso ​

PCMSO da nova SST, com Dr Rafael calixto

Aprenda TUDO que você precisa saber da NR-7 na nova SST com exemplos práticos, ferramentas e estudos de caso, e também como a gestão do PCMSO se adequa ao PGR e eSocial!

Mentoria FAP Expert

chegou a hora de você Dominar de uma vez por todas A gestão do FAP e sua carreira como Profissional de sst.

Mentoria GRO e PGR

Torne-se um profissional de SST valorizado no mercado, cobiçado pelas empresas e melhor remunerado em