Fala galera ligada aqui no canal SST ONLINE, como é que vocês estão? Seja muito-bem vindo a mais um episódio da nossa websérie, #PráticasDoTST.

Aqui no #Práticas a gente aborda o cotidiano dos profissionais da área de SST, principalmente os Técnicos de Segurança do Trabalho. A gente fala sobre documentos, procedimentos, comportamentos, enfim, algo relacionado ao dia a dia do TST.

Além dos textos, nosso canal no Yout=Tube tem uma playlist com vídeos de todos os temas publicados no #Práticas até agora, sendo mais uma forma de você poder acompanhar. Quer dar uma olhada lá? CLIQUE AQUI e veja a playlist #PráticasDoTST no Youtube.

Tema de hoje: quanto ganha o TST em 2022?

Taí uma questão sempre muito discutida e debatida em qualquer grupo de rede social: os salários dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Brasil. Antes de mais nada, vale ressaltar que não há uma definição em nível nacional a respeito de salário. Diferente de outras profissões regulamentadas, não há um piso nacional definido.

Então, preciso ser honesto com você: se entrou aqui pra ler que o piso do TST é de X ou Y, não é isso que vou escrever, até porque na maioria dos lugares, mesmo existindo um piso regional, as empresas acabam não adotando aquele piso e a remuneração normalmente fica abaixo do que está estipulado.

Pisos regionais

Em algumas regiões do país, alguns estados adotaram sim um piso salarial para o Técnico de Segurança do Trabalho, porém, de forma bem individual, visto que não há um consenso sobre isso e a classe não possui um conselho federal, o que acaba enfraquecendo as tratativas nesse tipo de situação. Só pra você ter uma ideia, aqui no Rio de Janeiro o piso foi definido pela ALERJ (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro).

Então, quanto ganha o TST no Brasil?

Bom, como eu disse, não dá pra estimar o salário do TST com base nos pisos. Pela zona que é; por muitos lugares não terem piso e, quando tem, muitas empresas não pagam este piso.

Então, como podemos fazer pra ter uma informação mínima referente a isso? Vamos lá!

Se não adianta a gente se basear pelos pisos, só nos resta uma alternativa: tomar como base o salário que as empresas pagam. Para isso, visitei milhares de empresas Brasil afora, levantei o salário base do TST, calculei a média aritmética ponderada, somei o quadrado dos catetos pra ver se tava batendo com o quadrado da hipotenusa e joguei tudo numa planilha de Excel automatizada. Fácil né?

Obviamente que isso não existiu. Mas serviu pra eu mostrar que lembro do teorema de Pitágoras 😉

Brincadeiras à parte, alguns sites de empregos fornecem dados referentes a uma profissão específica, e eu fui verificar se eles tinham o salário base do TST.

O site vagas.com, um dos mais conhecidos do país, traz a seguinte informação: o salário médio de um Técnico de Segurança do Trabalho está em torno de dois mil oitocentos e setenta e cinco reais, podendo variar um pouco pra menos, quando o profissional está em início de carreira, ou pra mais, quando está mais experiente. Olha o gráfico que tem no site:

Fonte: site vagas.com

Portanto, essa é a informação mais precisa que podemos ter, afinal, temos como base os salários que as empresas anunciam quando fazem o anúncio das vagas.

Óbvio que vai ter profissional ganhando menos do que os R$2.131 e mais do que os R$3.589, essa variação vai existir, é normal. Aí que entra um outro assunto que eu gostaria de abordar aqui.

Qual o ROI da empresa com SST

Vejo muitos profissionais da área de Segurança do Trabalho afirmando que “SST é investimento”, porém, não conseguem mostrar como. Tem muitos profissionais querendo ganhar três, quatro ou cinco mil pra ficar na empresa distribuindo EPI e verificando extintor. Esses vão me desculpar, mas não dão nenhum retorno financeiro à empresa.

O termo “ROI” quer dizer “Retorno sobre o Investimento”. Toda empresa faz análise em cima disso e calcula o quanto de retorno financeiro um determinado investimento pode trazer. Ter um profissional que fica entregando EPI e verificando validade de extintor não gera retorno. Por que uma empresa vai investir três ou quatro mil reais por mês pra isso?

Portanto, caro amigo TST, se você quer ganhar mais do que a média indicada pelo site vagas, você precisa fazer mais do que a média dos profissionais faz. Simples assim.

Existe todo aquele discurso romântico de que “a segurança do trabalho zela pela vida dos trabalhadores, pelo bem da mão de obra humana que é o mais importante que uma empresa pode ter”. Eu não discordo de nada disso, mas é uma teoria que não sustenta o argumento relacionado ao ROI. Uma empresa é feita para dar lucro, o empresário quer que sua empresa tenha lucro. Se quer ser um TST que não gera lucro, o melhor a se fazer é mandar currículos para as ONG’s e outras organizações sem fins lucrativos que existem país afora.

Como estar acima da média

Eu, Léo, particularmente costumo dizer que a média do profissional da área de SST é muito baixa. Portanto, estar acima da média requer pouco esforço, porém, quanto mais esforço, mais acima da média você vai estar.

Até onde eu sei, a única coisa que pode te tirar da média é conhecimento, aliado à iniciativa em aplicar esse conhecimento. Portanto, pode parecer clichê mas é verdade, para estar acima da média tem que estudar, buscar conhecimento e, principalmente, entregar resultados de verdade para as empresas.

Aqui no SST ONLINE estamos cheios de conteúdo de alto valor, como eSocial e FAP. Se você não tem disponibilidade de adquirir um curso agora, não tem problema, nosso canal no Youtube e nosso Instagram tem muito conteúdo incrível. Agora, se você pode optar por realizar um curso desses, ganha tempo na curva de aprendizagem. Mas, faço uma ressalva: comprar curso não garante o conhecimento. Além de comprar, tem que fazer, acompanhar as aulas, aplicar os ensinamentos. Só comprar e pedir certificado não dá conhecimento a ninguém.

Falo isso porque tenho um amigo que compra livro toda semana, mas não lê nenhum. Ele acha lindo ter em casa várias prateleiras cheias de livros. Mas, ter livros não garante o conhecimento e as experiências contidos neles né? Pra isso, só lendo.

Então, mãos à obra porque temos muito a fazer pela classe de SST, temos muito trabalho pela frente. Vamos subir a média de conhecimento da nossa área e, consequentemente, a média salarial também.

Se tiver alguma dúvida referente a este tema, deixa nos comentários. Enquanto isso eu vou preparando o próximo episódio da nossa websérie #PráticasDoTST.

Um grande abraço a todos e FA   LOU!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos Relacionados

Esteja antenado às novidades do SST

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nossos Cursos

PCMSO da nova SST, com Dr Rafael calixto

Aprenda TUDO que você precisa saber da NR-7 na nova SST com exemplos práticos, ferramentas e estudos de caso, e também como a gestão do PCMSO se adequa ao PGR e eSocial!

Mentoria FAP Expert

chegou a hora de você Dominar de uma vez por todas A gestão do FAP e sua carreira como Profissional de sst.

Mentoria GRO e PGR

Torne-se um profissional de SST valorizado no mercado, cobiçado pelas empresas e melhor remunerado em